21/03/2016

Opinião | "The Wolf Wilder - A Encantadora de Lobos" de Katherine Rundell

Título: The Wolf Wilder - A Encantadora de Lobos
Autor: Katherine Rundell
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 336
Editor: Lápis Azul
ISBN: 9789899512429
Idioma: Português
Dimensões: 140 x 207 x 25 mm
Encadernação: Capa mole

Sinopse: A vida de Feo é extraordinária. Ela e a mãe ensinam lobos domesticados a aprender a sobreviver nas vastidões geladas da Rússia. Feo adora trabalhar com lobos, especialmente com os três que já foram devolvidos ao seu habitat natural, mas que se recusam a abandoná-la. São meio-selvagens, não são animais de estimação. Mas nem todos são apaixonados por lobos - especialmente o General Rakov, que tenciona destruir tudo aquilo que Feo ama. Em breve, para salvar a mãe, Feo irá ter que atravessar os bosques gelados para chegar a São Petersburgo - e aprender a confiar em desconhecidos cujas vidas foram igualmente afectadas pelo cruel general.
Depois do êxito de Rooftoppers, Katherine Rundell regressa com uma história maravilhosa que nos fala de amor, de sobrevivência - e de lobos.

Opinião:
The Wolf Wilder é o segundo livro de Katherine Rundell publicado cá em Portugal pela Lápis Azul (chancela da Individual Editora), mas é o primeiro da autora que eu leio. A capa e toda a edição está simplesmente magnífica e sem dúvida que foi isso que me fez partir para esta leitura. Eu sabia que era um infantojuvenil e por isso não ia com grandes expectativas, mas no fim foi uma leitura bastante boa, principalmente pela escrita da autora que foi algo que agradou-me imenso.

Este livro conta a história da Feo, ela e a sua mãe vivem na Rússia e ensinam os lobos domesticados a terem um instinto animal mais forte para que possam sobreviver sozinhos. Aqui as pessoas mais ricas gostam de ter lobos como animais de estimação pois acreditam que atrai sorte, mas quando estes fazem algo que não agrada ao dono ou o dono simplesmente já não quer o lobo, estes animais são enviados à Feo e à sua mãe para elas ensinarem-lhes a serem animais selvagens, isto porque acreditam que matar este animal dá azar e nem os mais poderosos se atrevem a matar este animal, logo a única solução é manda-los para um encantador de lobos. Mas tudo muda quando o General Rakov fica cada vez mais louco de ano para ano e se já não bastasse fazer crueldades com a população, agora também quer que os lobos morram. O General obriga a mãe da Feo a matar os lobos e como ela não aceita é presa. É aqui que começa a jornada da Feo para salvar a mãe e ao mesmo tempo talvez iniciar algo maior.

"Os lobos, tal como as crianças, não nasceram para viver vidas calmas." (pág. 2)

Eu adorei a escrita da autora, eu não costumo gostar muito deste género de livros, mas a escrita é tão natural, tão bem escrita e fluída, quase mágica, que entrei no livro e não conseguia parar de o ler. A história também é interessante, mas como como achei bastante irreal demais, afinal são crianças que querem salvar a população de um tirano, não me envolvi tanto com a história, mas devido à escrita, a autora conseguiu com que eu ficasse presa no que estava a acontecer e no final eu só queria saber como ia terminar.

Além da escrita fabulosa da autora, também achei que a mensagem principal do livro foi super bem conseguida, além de que a história tem personagens bastante diferentes, mostrando assim que a diferença é boa. Relativamente aos lobos, achei de uma sensibilidade extrema como a autora retratou estes animais, o livro está recheado de momentos divertidos, mas também de momentos bastante dramático com os lobos, eles não são apenas animais na história, pelo contrário, eles também são personagens neste livro o que faz com que emocione ao ler e, devido à escrita da autora, a ligação entre a Feo e os lobos também é passado ao leitor e passamos também a amar estes animais, mesmo no seu estado selvagem que é o que deve ser. Os personagens são bastante fortes e destemidos e quase que conseguimos acreditar que poderia ser real, talvez seja o consciente a querer que a vida fosse assim tão simples ao ponto de que a visão de uma criança pudesse ser suficiente para melhorar tudo, ou simplesmente os adultos é que complicam demasiado o que é simples, mas a realidade é que o livro mostra que ao tentar e nunca desistir já estamos a ver algo grandioso!

Com uma escrita magnífica, uma história que emociona do início ao fim, cheia de força, luta e principalmente esperança, é um livro bastante bom para aprender o significado de acreditar e não desistir. Katherine Rundell conquistou-me pela sua escrita leve, fluída, mas com um toque especial que achei mágico e sem dúvida que fiquei curiosa para conhecer a outra sua obra, pois como podem perceber, a história não achei nada de especial, mas o que cativou-me foi a escrita da autora que é bastante diferente de tudo o que li anteriormente.
Leitura com o apoio:

1 comentário:

  1. eu gostei muito livro e acho que todos deviam ler, porque é do melhor que eu li até hoje.

    ResponderEliminar

Aqui podem deixar todos os comentários e prometo que responderei o mais rápido possível.

Comentários que não são construtivos não serão aceites.